Alguém quer ter um blog?

09 dezembro 2016


Como eu disse ontem, criei um blog novo com um nome mais divertido.
Porém, o Antigos Diários está ocupando espaço no meu painel agora, e eu realmente não gostaria de precisar deletá-lo.


Portanto, estou oferecendo a qualquer pessoa a vaga de administrador do blog Antigos Diários.
Não precisa de nenhum requisito: se você for do tipo que confunde "mas" com "mais" ou comete outros erros de gramática, tudo bem, o blog é seu e você faz o que quiser.
Pode mudar o layout, pode mudar o nome, e se quiser, pode até excluir os posts para começar do zero.

O blog será todo seu, basta comentar aqui no post para dizer que quer, ou em qualquer post da page no facebook (seja na do Antigos Diários ou na do Fala Aí, Maluco). 
O importante é não matar o blog hahaha

         Se quiser acessar o blog novo, clique aqui


Ou clique no gif do Ted Mosby

                        Resultado de imagem para gifs how i met your mother

Adeus Brógui véio, olá brógui novo ♪♫

08 dezembro 2016



Talvez algumas pessoas se perguntem por que eu passei alguns tempos sem postar aqui e depois voltei a postar de novo.
O motivo é: criei um blog novo.

Eu vi que, quando eu criei o Antigos Diários, era pra ser só um blog de textos, crônicas e etc, então o nome caía como uma luva.
Porém, quando eu fui divulgar um pouco mais e entrei pro Rock Blogs, o assunto não se encaixava (muito menos a ausência de imagens nos posts), então acrescentei uma certa variedade.
O que aconteceu? O nome do blog perdeu o sentido, e até o layout era sem graça demais para um blog com conteúdo mais divertido.

Rolou desânimo várias vezes, não apenas um desânimo natural (que faz parte do meu ser rsrs), mas também pela falta de acessos, e quanto mais o tempo passava, mais sem sentido parecia continuar com o blog desse jeito.
Mas eu já tinha parado um blog antes e não queria passar de novo, porque eu não iria perder o gosto muito menos deixar de ter ideias. E elas não teriam como ser aproveitadas sem um blog.

Então o que eu fiz? Criei um blog novo, com um nome mais divertido (que mudou várias vezes até eu finalmente pensar em um bom e começar a mexer com html).
Primeiro eu botei todas as postagens do Antigos Diários lá, mas depois pensei: "se é pra ser do zero, tem que ser do zero mesmo". Então postei apenas uma, novinha em folha.

Eu não ia publicar ele agora porque acredito que o layout precisa de melhorias, mais cores, etc, mas não está tão ruim. Outro motivo é que eu queria criar um canal no You Tube também e estreá-lo junto com o blog, mas como não tenho câmera e nem sei quando vou comprar, isso estava atrasando muito os planos (e até já tô pagando o domínio, ou seja: vou ter que divulgar MESMO pro blog crescer, porque não vou pagar essa porra á toa u.u).

Mas cansei de esperar, cansei de enrolar, até eu comprar a câmera já é natal de 2027, então resolvi estrear agora mesmo e foda-se. Espero que gostem, espero que dê tudo certo e espero que com o tempo eu consiga um layout melhor (ou consiga pagar um web designer hahaha).

Clique aqui para acessar o blog novo


Ou clique no gif do Chandler se preferir:

                            Imagem relacionada

Por que aborto não é assassinato?

04 dezembro 2016


Estou cansada de falar sobre o aborto. Cansada de explicar o que ninguém quer aprender, a grande maioria não se importa de verdade com isso, só quer pagar de santo mesmo. Porque quem se importa, aceita a correção e o aprendizado.
Mas vou entrar no assunto mesmo assim, vou tentar fazer dessa a minha última tentativa de explicar sobre o assunto.
Primeiramente, vou copiar e colar o trecho de um material sobre embriologia. Especialmente para quem diz que aborto é assassinato, vejamos aqui:

Fase embrionária

Durante o segundo mês de gestação, ou seja, da terceira à oitava semana do desenvolvimento, o embrião atinge cerca de 25mm. As partes da cabeça e do tronco podem facilmente ser reconhecidas. Dobrado sobre si mesmo, o embrião mantém a parte superior da cabeça voltada para baixo, em direção à cauda.

Aparecem os rudimentos dos membros (quarta a quinta semana).
Os órgãos genitais podem ser considerados como indiferenciados, pois não têm forma definida, de modo que, pelo simples exame deles, não se consegue indicar o sexo do embrião. Na região da face, o desenvolvimento caracteriza-se pela formação do nariz (a partir dos placóides nasais, que se situam na parte frontal, pouco acima da "boca") e pela diferenciação do olho, a partir dos placóides ópticos.
Fase fetal
A partir do terceiro mês, o embrião, que agora se chama feto, inicia alguns movimentos respiratórios, apesar de estar imerso no líquido amniótico. Seus movimentos ainda não são percebidos pela mãe. Os olhos deslocam-se para a posição definitiva e inicia-se a diferenciação na genitália externa.
No quarto mês, o feto tem o peso aumentado em aproximadamente seis vezes (passa de vinte para 120 gramas).
Se o "ser" só se torna um feto a partir do terceiro mês, se só a partir desse mês ele começa a respirar e desenvolver os membros, então COMO pode ser assassinato antes disso?
A partir disso consegui entender por que a lei permite o aborto até o terceiro mês de gestação: porque não tem como matar o que ainda não tá vivo.
Quem quiser ler mais sobre embriologia em geral, basta clicar aqui para ler a matéria completa (mas termina o post antes, viu?).
Me permitam mostrar mais uma imagem explicativa:



26ª semana = QUINTO mês de gestação (calculei isso com a noção de que cada mês possui em média 5 semanas, mas como não sou de exatas, considerem do quarto ao sexto mês pra não ter erro e lembrem-se de que a lei permitiria o aborto até o terceiro mês).
No facebook eu compartilhei uma matéria sobre embriologia dizendo que o sistema nervoso demorava bem menos que isso pra se desenvolver (5 semanas, ou seja, um mês). Mas acho que o The Guardian é um pouco mais confiável do que um blog pessoal, né?

Agora vamos aos motivos de aborto:


1. Algumas mulheres, mesmo não tendo condição de criar, se sentem seguras e confiantes para dar vida ao filho. Porém, outras não se sentem bem em obrigar alguém a nascer pra passar fome, ficar doente sem receber assistência médica, viver em um local perigoso com assaltos diários, etc. Pode ser que elas sejam sozinhas, sem família, sem ninguém pra ajudar, não possuem conhecimentos pra adoção nem sabem onde fica um orfanato, etc.

2. Orfanatos não são lugares mágicos e lindos. As crianças passam fome, carência e vivem de doações. Esqueça as Chiquititas e a Madeline.

3. Quando uma mulher engravida depois dos 35 anos, é quase certo que a criança vai passar a vida sofrendo com Síndrome de Down, entre outras doenças crônicas. Abortar não é um preconceito contra essas crianças, e sim uma proteção contra o sofrimento delas, porque querendo ou não, mesmo recebendo amor e carinho dos pais, elas vão sofrer de um jeito ou de outro. Não é justo.

4. Algumas mulheres possuem doenças hereditárias e sofrem com elas. O transtorno bipolar, por exemplo, é uma delas. A mulher teme que a criança sofra com uma mãe que possui surtos de raiva ocasionais, e teme que a criança adquira a doença também e sofra com isso. Viver com a culpa de fazer da vida de alguém um inferno é muito pior do que saber que impediu alguém de nascer (um alguém que nem sentia dor, que nem respirava, que nem estava vivo ainda pra sentir tudo o que sentiria depois que nascesse).

5. Ainda falando sobre doenças hereditárias, vocês lembram do Zika Vírus? A criança estaria nascendo pra sofrer até morrer aos dois anos de idade (ou em alguns meses apenas).

6. Nenhum método contraceptivo é 100% eficaz. Já li uma notícia contando sobre uma mulher que engravidou mesmo usando o DIU e conheço uma pessoa que engravidou mesmo usando injeção, só que não houve sinais de gravidez. Nada de enjoo, desejos, a barriga não ficou tão evidente. Ninguém percebeu que ela engravidou e todos ficaram chocados quando ela entrou em trabalho de parto (isso sem ter comprado nada, já que nem ela mesma percebeu que estava grávida).

7. Era pra ter anti concepcional masculino, mas ele foi refutado por ter os mesmos efeitos colaterais do que o feminino. A responsabilidade de evitar a concepção é jogada nas costas da mulher, e o homem se recusa a tomar precauções. O homem abandona a mulher durante a gravidez e ainda fala que ela deveria ter fechado as pernas. Mas e ele? Por que não guardou o pinto?

8. Nem sempre a escolha de abortar é feita pela mulher. Em alguns casos o marido, namorado ou até mesmo a família obriga a mulher a procurar uma clínica clandestina. Ou a garota. Imagina engravidar aos quinze, mesmo usando um método contraceptivo, e ser obrigada a abortar? Imagina o medo da dor e do julgamento? Obviamente, a garota vai morrer calada. Vai ficar constrangida pelo que aconteceu, se sentir culpada, burra, idiota e acatar a ordem.
Se o aborto fosse legalizado, haveria uma certa avaliação médica antes pra saber se o corpo dela aguenta esse procedimento. Pra saber se o psicológico dela aguenta esse tipo de coisa. Perguntas seriam feitas pra saber os motivos que ela tem para estar ali, e se for por pressão da família, as chances de isso ser descoberto seriam maiores. E uma morte seria evitada.

Reparem nesse gráfico sobre violência obstétrica:


Se durante o parto, coisa que a maioria é a favor, algumas mulheres são obrigadas a ouvir esse tipo de coisa, imagina durante um aborto que ainda não é seguro? Imagina como elas seriam tratadas em uma clínica de aborto clandestina?
Vi uma imagem melhor no Face, mas como não compartilhei, não consegui achar de novo, mas fiquei apavorada ao ver que, durante o parto, alguns médicos se recusaram a dar anestesia.

Minha mãe disse que durante o parto dela, ela ouviu a frase com o número 14 ao lado sendo dita para outra mulher.
Que lindo isso, né? Não nos permitem abortar e ainda nos tratam feito um lixo em um dos momentos mais dolorosos e importantes das nossas vidas.
Sim, o gráfico mostra que uma minoria passa por isso, mas 23% pra mim é um número grande. Um número grande para o século 21.
Ninguém deveria passar por isso.

Entendam que se na obstetrícia isso ocorre, em um aborto não legalizado é ainda pior. E quem é contra a legalização, está obrigando milhões de mulheres a passar por esse tipo de coisa e morrer.